quarta-feira, 20 de maio de 2015

EU TE AMO

Risquei paredes:
Para não lhe escrever;
Odiei:
Para não revelar meus sentimentos;
Tentei fechar os olhos:
Para não vê-la em meus pensamentos;
Fechei meus lábios:
Para a verdade não dizer.

Entretanto,
Hoje entrego minhas lágrimas sofridas...
Para esse amor que a tanto alimentei;
Para as palavras deste sonho que guardei;
Para o medo que persegue minha vida.

E hoje entrego estas palavras...
Para os muros, que não são sentimentais;
Para as linhas, que não sabem o que é amor;
Para os sonhos, que não sabem ser reais;
Para as letras, que não vêem o que é dor.

E hoje grito esta frase...
Para o mundo, que já sabe onde errei;
Para a vida, que já vê, tenho meu medo
De revelar este (tão só meu) segredo;
Apesar de o peito querer falar (mas não falei).

E as palavras,
Estas letras tão completas,
Forma a frase que, de simples, é complexa,
E que toca (e incomoda) corações.

Estas letras,
Esta frase,
As palavras...
Eu te amo!